sábado, 27 de janeiro de 2018

Onde tudo
for abismo
(ainda assim)

existirá a possibilidade
do voo! 


Adeilton Lima

sexta-feira, 19 de janeiro de 2018

Quando duas peles
se tocam
quando dois corpos se unem
em alinhamentos
de energias, de universos...

transbordam
fluxos de magmas

que migram das profundezas e se cruzam
dentro e fora das artérias

semeando... regando com o suor
e com a saliva...
as almas
os corpos
as manhãs

Adeilton Lima

quarta-feira, 3 de janeiro de 2018

Silencia...
Aprende a silenciar
o teu coração.
Quanto mais silencioso
Ele estiver
Mais profunda e sonora
Será a voz da tua alma.
Espalha pelas veias
A luz dos teus ancestrais
E celebra diante dos altares
de todos os deuses
a alegria da existência!
Transmuta os sofrimentos
Através da ciranda universal
E sempre às manhãs
Repete o mantra sagrado
Cantado pelos anjos:
Eu sou o amor! Eu sou o amor! Eu sou o amor!


Adeilton Lima
Há tempos estamos doentes
Ausentes de nós mesmos
Mutilados, castrados
Pênis, clitóris, alma
Há muito fomos trancafiados
Neste calabouço de solidão
Isolados das nossas essências
Inocências e purezas...
Uma natureza corroída
Como uma floresta desmatada
Muito a se replantar
Amor demais para nascer
Pois que a vida urge
Inquieta esmurrando o peito
Novos partos, novos seres
Caminhos outros a percorrer
Tanta vida ainda a se viver!


Adeilton Lima