domingo, 6 de novembro de 2016



Olhar pro céu
E curtir o azul
O pôr do sol
Ou mesmo um dia nublado
e depois puxar assunto sobre o clima
desembaraçando as nuvens e a conversa
Esperar a noite chegar
Com ansiedade para não perder
O espetáculo da lua cheia...
Ouvir músicas tatuadas
Nas nossas histórias
Pegar um cineminha
Um teatro
Ou um ir a um terreiro
Benzer a alma para a vida que segue
Tomar sorvete
Dar gargalhadas
sobre qualquer bobagem
enroscar as pernas sob os lençóis
não querendo ver o tempo passar
sentir aquele calor e aquele cheiro únicos
andar sem roupa pela casa
revivendo tribos atávicas
e jamais descobertas
depois, falar um poema ao ouvido
e adormecer
como quem sente a presença dos anjos
e sua proteção
nos caminhos abertos pelas madrugadas.

Adeilton Lima

Nenhum comentário: