segunda-feira, 30 de maio de 2016

O olhar voraz da primeira vez
um meteoro de delírios
dentro e fora do labirinto
sem possibilidade de escapatória
uma lua minguando nesse céu
estupefacto de realidade
aquela manhã que se vai
na cauda de algum cometa
respirando ainda
a poeira cósmica dos amores...


Adeilton Lima