terça-feira, 23 de junho de 2015

Não invento palavras, a poesia é o alfabeto que aprendi com os deuses, ainda na infância, enquanto conversava e brincava com fantoches desbotados, uma árvore parideira de sonhos e com os meus queridos amigos imaginários, sim, eles, os deuses.

Adeilton Lima

Nenhum comentário: