terça-feira, 8 de outubro de 2013

A existência da borboleta é em ziguezague.
A existência do cão é em diagonal.
A existência do beija-flor é a leveza.
A existência da cobra é o veneno.
A existência do tigre é o ímpeto.
A existência da rã é o salto.
A existência do vaga-lume é a escuridão.
A existência do cavalo é a força.
A existência do pássaro é o horizonte.
A existência do caramujo é a espiral.

A existência do ator é o palco.
A existência do poeta é o verso.
A existência do poema é a alma.
A existência da lua é o sol.
A existência de Deus é o homem.
A existência do homem é a criança.
A existência do tempo é o agora!


Adeilton Lima
Quando caminhamos
nas nuvens
todo o chão é céu...

Adeilton Lima
O Coração 
é a mandala
da alma!

Adeilton Lima
O vento lambendo a chuva, 
a chuva engolindo o vento...
As tetas duras das nuvens
E o suor nos poros do tempo!


Adeilton Lima
A fagulha
É o parto
do clarão.


Adeilton Lima
A chuva
açoita
o dorso
da madrugada...


Adeilton Lima
Deixa que o trapézio da noite te embale sobre os sonhos aparentemente impossíveis, nada de quedas. Aceita sem culpa a cara de porre da madrugada, ela é quem dá à luz os horizontes ora tranquilos, ora tempestuosos da escuridão! Descansa, os pássaros neste momento também adormecem para fortalecer os próximos voos.



Adeilton Lima
O fogo
é o falo
da vela.

Adeilton Lima