quarta-feira, 30 de maio de 2012

Poesia em pedra dura tanto bate até que... Asas!


Adeilton Lima

Um comentário:

Emiliano disse...

Muito bom !! Sonho em carne humana tanto bate até quê... fim ? rsss