sexta-feira, 8 de abril de 2011

Há Caminhos...

Quero a poesia possível!
Simples.
Aquela que me aborda de surpresa.
Que guarda meus passos
Como anjo da guarda.
Que me acena um bom dia
Com o sorriso aberto
Refletindo raios de sol.
A poesia latente da semeadura
No caminho das promessas,
No ciclo dos desejos...
Aquela da primeira noite de lua cheia
Quando inevitavelmente uivo aos céus
Celebrando a vida que corre
e a colheita das amizades fartas.
Quero a poesia possível
Encontrada nas rugas do tempo
Ou no tempo sem rugas
Quando a criança sorri...
A poesia possível
De um poema que nos pareça impossível realizar
E que de repente acontece
Como nuvem quando se abre
E não mostra apenas o céu
Mas o infinito
Que está para além do verso,
Universo!

Adeilton Lima

Google

Nenhum comentário: