sábado, 30 de abril de 2011

Das Travessias


Google

Eis o portal
Embainha tua espada
O círculo de fogo que
Anela a alma no interior do ventre
Protege e afaga teus caminhos
Há sombras na floresta para os teus sonhos
Agora, o leão descansa...
Depois de tantas batalhas
Suas asas recuperam o fôlego
Para novos vôos.
Vai! Sem medo faz tua travessia!
Não há barqueiro ou qualquer outro cicerone...
Esculpe na pedra o teu dia e deixa
Que a água lave teu rosto.
Do outro lado há um menino
O guardião do portal
Sorri para ele sem receio
E deixa-te levar pela correnteza.
Quando chegares à outra margem
Beija o chão dos teus ancestrais
Medita.
Terás cumprido o teu ritual...
Um raio te fortalecerá o peito e
Na voz de Deus cantará o trovão.
Será primavera!
Toma um lírio e guarda como lembrança.
Quando finalmente chegar o dia
Verás a beleza do sol que te espera!

Adeilton Lima

sexta-feira, 15 de abril de 2011

quinta-feira, 14 de abril de 2011

sexta-feira, 8 de abril de 2011

Há Caminhos...

Quero a poesia possível!
Simples.
Aquela que me aborda de surpresa.
Que guarda meus passos
Como anjo da guarda.
Que me acena um bom dia
Com o sorriso aberto
Refletindo raios de sol.
A poesia latente da semeadura
No caminho das promessas,
No ciclo dos desejos...
Aquela da primeira noite de lua cheia
Quando inevitavelmente uivo aos céus
Celebrando a vida que corre
e a colheita das amizades fartas.
Quero a poesia possível
Encontrada nas rugas do tempo
Ou no tempo sem rugas
Quando a criança sorri...
A poesia possível
De um poema que nos pareça impossível realizar
E que de repente acontece
Como nuvem quando se abre
E não mostra apenas o céu
Mas o infinito
Que está para além do verso,
Universo!

Adeilton Lima

Google

Poesia ou violência?


Por Adeilton Lima
Qual a sociedade que nós queremos construir?
Definitivamente, essa é a questão à qual todo cidadão brasileiro deveria tentar responder.
Qual a relação que há entre os inúmeros escândalos que frequentemente testemunhamos na política brasileira com a onda de violência que cresce cada vez mais e que não poupa inocentes como o caso assombroso de Realengo, no Rio? Quais as relações entre o comportamento dos meios de comunicação, jornais, revistas, TVs, etc, com a loucura das drogas, com a corrupção e com aquela mesma violência? Promiscuidade e hipocrisia, essa é a minha resposta!
A corrupção estupra investimentos que bem poderiam ser aplicados em bens sociais, educação e saúde, por exemplo, e também para o pagamento de salários dignos para os profissionais dessas áreas. Enquanto um ser em surto assassina crianças indefesas dentro de uma escola, debatem-se no Congresso Nacional medidas para ampliar o porte de arma em meio a discursos homofóbicos e racistas ou de processos por corrupção de deputados (as) tão desequilibrados (as) e mal intencionados (as) quanto o assassino de Realengo, este talvez mais uma vítima. Por outro lado, a televisão brasileira continua derramando sangue em seus telejornais, programas sensacionalistas e enlatados, sufocando a realidade com uma violência gratuita que expulsa toda e qualquer possibilidade de poesia do imaginário do nosso povo. De que adianta tanta lágrima de políticos, empresários e governantes se medidas práticas e imediatas não forem tomadas? É necessário que se mudem os valores e os padrões comportamentais quase sempre importados do decadentismo norte-americano cuja ditadura massacra nossa cultura e identidade! Isso quando não invade o território alheio de olho em suas riquezas com a desculpa estúpida de proteger cidadãos de determinados opressores.
Defendo o alimento da poesia! Arte na veia, na cabeça e nos pulmões! Arte sobretudo na alma das pessoas!!!
Já passou da hora da educação no Brasil receber a atenção que merece! Ou teremos agora que instalar detectores de metal nas portas das escolas ou importar algum Rambo maldito para nos defender de nós mesmos?
Chega!!!  Basta de hipocrisia!
Faz-se necessário um pacto! Precisamos de paz!
Mudem-se as programações das TVs! Cassem-se os bandidos e canalhas fascistas e corruptos que sugam e envergonham nossa sociedade e que ocupam assentos no Congresso Nacional! E que o povo se eduque e aprenda a votar e a cobrar trabalho dessas pessoas que são craques apenas em aumentar o próprio salário.
Precisamos fazer uma lavagem nas escadarias da nossa realidade! Defumar e ritualizar os caminhos por onde devem passar os nossos sonhos!
Só vejo um remédio: Cápsulas de poesia, todos os dias!

terça-feira, 5 de abril de 2011

A poesia é uma espécie de abalo sísmico da alma. As consequências são imensuráveis...


Adeilton Lima

Poema

Google
Um poema nascendo
É o ápice
De um orgasmo
Do arrepio ao grito
Da letra ao falo
Da vulva aos lábios
Numa manhã de vermelho
Tal qual uma bofetada...
Ou lilás talvez
Como líquido esquecido no fundo da taça
Gotas de saliva e suor
Misturadas, lambuzadas
Riscadas na pele
Marcadas no corpo...
Poros, dedos, unhas, línguas, garras!
Agora um feto no cio...
Ejaculando horizontes!
Gozando!


Adeilton Lima