terça-feira, 30 de março de 2010

Labirintos

Tomou minha mão
Tateou sobre suas linhas
Becos e abismos
Mediu cada ponto, cada poro
Buracos de agulha sem costura
Eternos labirintos
Pingando o suor dos dias
Tocando tetas imaginárias
Em tesas gotas de orvalho

Adeilton Lima

Nenhum comentário: